segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Planeta dos Macacos (1968)

Titulo Original: Planet of the Apes
Ano de produção: 1968
Gênero: Ficção científica


Planeta dos Macacos é um filme de ficção científica produzido em 1968 inspirado no livro La planète des singes de Pierre Boulle.
O filme narra a história de um trio de astronautas do século XX que durante um voo na velocidade da luz para uma missão experimental vão parar num planeta primitivo dominado pelos primatas e que os humanos eram meros escravos revertidos a sua forma primitiva sem o dom da fala ou raciocínio.
Um dos companheiros do tripulante Taylor, protagonista do filme, é ferido mortalmente e mais tarde empalhado num museu de artes, enquanto o outro sofre uma cirurgia que o deixa lobotomizado. 
Taylor por sua vez é ferido na garganta e aprisionado numa espécie de zoológico com outros humanos e começa a descobrir que por algum motivo, os líderes daquele planeta estranho capturam humanos para domesticá-los e assim assegurar não só seu status de dominantes, mas também guardar um grande segredo: aquele já foi um planeta dominado por homens e que ao contrário do que a maioria pensa, os humanos é que evoluíram dos primatas, portanto chegaram a aprender a falar e pensar, por isso esse dom lhes é retirado por meio de cirurgias.
Assim que Taylor se cura e revela que é um ser inteligente começa uma guerra de fé entre os primatas que querem trazer a tona a verdade.
O filme revolucionou o gênero de ficção científica chegando a ganhar o Oscar de maquiagem e rendeu ainda mais 4 sequências além de uma série animada, outra com atores reais além de outros 3 filmes (sendo um deles considerado remake do clássico de 1968) e quadrinhos.

Analisando: O filme em si é todo um clássico tirando a primeira meia hora onde o trio de astronautas exploram longamente o planeta em que aterrissaram. Ele só começa a se fixar a partir do momento que o trio entra no meio da caçada dos macacos sendo confundidos com os nativos. O que se segue é uma luta árdua pela sobrevivência e pela verdade, regado a um suspense psicológico a todo momento em que os humanos são mostrado como o nível mais baixo da escala evolutiva, sendo tratado como escravos, troféus de caça e itens de museu. 
O final é antológico e aberto a inevitável continuação, uma vez que assuntos importantes ficaram pendentes.
Em 2001, um filme totalmente novo foi nos apresentado como remake, mas fã de verdade vê aquilo como um spin off ou uma história passada em um universo alternativo ou simplesmente em outra época e elementos para isso não faltam como por exemplo: no clássico de 1968 os humanos eram tratados como lixo, tirando não só sua fala, mas toda sua dignidade, enquanto que na versão de 2001 os humanos são reduzidos a animais de estimação e empregados domésticos, além do fato de que eles tanto podem falar quanto pensar, o que me leva a acreditar que essa versão se passa antes da época do primeiro filme, assim sendo os primatas ainda não tinham conhecimento de medicina como neuro cirurgias etc. Outra diferença é que na versão de 1968 é abusivo o uso de armas de fogo, enquanto que em 2001, as armas eram desconhecidas até o final do filme.
Então é isso, assistam a versão de 2001 por sua conta e risco, tratá-la como remake do clássico de 1968 para mim é um grande engano; como reboot talvez. Mais informações sobre a versão de 2001 poderemos tratar futuramnte.

Trailer:
video

Nenhum comentário:

Postar um comentário